quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

A chuva




Hoje percebi o quanto eu gosto de chuva, não de tempo chuvoso, mas da chuva que cai.Pode parecer meio ilógico essa afirmação afinal, como gostar da chuva e não do tempo chuvoso?Tentarei explicar, antes pretendo expor um pouco da minha historia com a chuva.
Lembro-me que certa vez ao acordar e ouvir o barulho da chuva caindo delicadamente no chão dei um pulo da cama e corri até a varanda para apreciar a beleza que é assistir a chuva.Parei na porta e fiquei olhando até que vagarosamente fui me aproximando e então me dei conta da atitude impulsiva e ingênua que tive.Parecia a primeira vez que a ouvia e via.Cheguei a pensar que fora tolice de minha parte, chuva é algo tão comum e tão normal, não tinha motivo para tanto alarde.Acredito que até mesmo você que se propôs ler esse texto esteja concordando com esse pensamento, mas logo me dei conta que é essa mesma ingenuidade que faz das coisas simples e comum do cotidiano, coisas especiais e diferentes a cada vez que se vivencia.Nos perdemos nos afazeres do nosso dia, corremos de um lado para o outro executando as tarefas que estabelecemos e deixamos o dia, o mês, o ano, a vida passar.
Há quem pense que felicidade é algo a se alcançar, a se buscar, penso que felicidade é viver, que não está em algo a ser atingido, mas no que tenho e vivo.É estar atento ao que nos cerca, perceber que sol, chuva, vento...fazem parte do nosso dia, mas que não são menos importantes, pelo contrario, deveríamos atribuir a eles um grande valor, pois nos acompanham a cada dia e nem mesmo somos agradecidos.Pelo contrário, se chove reclamamos da chuva, se faz calor, do sol.Não proponho que façamos uma celebração para cultuá-los, mas que nos permitamos sentir o que eles tem a nos oferecer, seja o seu calor, o refrigério, ou o que quer que nos tragam.
Amo sentir a chuva correndo pelo meu corpo, amo deixar a chuva me banhar, sentir que não tenho controle para faze-la parar ou aumentar, mas simplesmente me deixar ser coberta pelos seus pingos gelados, mas que aquecem.Nessas horas me pergunto quem foi que inventou a marquise ou até mesmo o guarda-chuva.Por que se proteger da chuva, como se ela fosse nos ferir?Acredito que ficamos resfriados ao pegar chuva não porque ela nos faça mal, mas porque não nos acostumamos com ela, estamos sempre a evitando.
Recentemente li um livro que discorria sobre a Modernidade e enumerava algumas características que considero ainda presentes, tais como manter o controle das situações através da ordem, contemplar o futuro e renegar o presente, dentre outras.Infelizmente podemos observar dia após dia como isso se faz presente em nossas atitudes.Como nos deixamos nos envolver com essa proposta, o quanto desejamos controlar as coisas e ou outros, o quanto pensamos no futuro, planejamos, mas não celebramos o que está diante de nós: o presente.
Vivemos numa sociedade capitalista e sabemos a “importância” que há em presentear pessoas especiais, principalmente nessa época de final de ano.Existem varias épocas do ano marcadas por esse ritual: aniversários, natal, páscoa, dia dos namorados etc.Logo, sabemos o significado do presente.Sabemos que traz felicidade para as pessoas, realiza sonhos.Por que será que não lidamos com o nosso presente como um presente?O que nos impede de pular de alegria ao ver a chuva, ao andar pelas ruas, ao ser surpreendida pelo vento que nos lasca um beijo na face?
Poderia seguir o mesmo raciocínio do parágrafo anterior, jogando a culpa nos costumes da modernidade que nos influenciou (e de fato ainda influencia) mas não acho que ajude muito pensar no por que sem pensar em como mudar.Sem contar que por mais que tenhamos sido influenciados devemos, ao invés de querer controlar as coisas e as pessoas, começar a controlar a única coisa que temos por direito: nossa vida.Portanto, se um dia for atropelado por uma borboleta dê adeus a ela, ou melhor, um até logo.Se a chuva te pegar desarmado, não reclame dela, agradeça pela oportunidade de ser banhado com as suas gotas.
Tentando responder a pergunta inicial, ao falar do tempo chuvoso pensamos na lama que fica na rua, nos lugares que podem ser alagados, na escova que não pode cair sequer uma gotinha enfim, todo um contexto se forma em nossa mente.E, por mais que para que esse contexto aconteça seja necessário a presença da chuva, ela é somente um dos elementos que causa todo esse “transtorno”.Ela é um elemento que aliada a outros constituem o tempo chuvoso.Daí ser possível pensar numa diferença entre estes.Com isso, é a chuva que me fascina.São seus pingos.Sua delicadeza, mas também sua impetuosidade.Sua chegada sem aviso.Sua graça que encanta e limpa a quem se permite.Simplesmente a chuva que molha.

18 comentários:

  1. deb grande texto realmente as pessoas ficam preocupados com N coisas e esquecem de outras tão importantes como a natureza. O aquecimento global ta aí e ninguém liga acha que é tudo coisa de cientista maluco que exagera tudo.
    Dica:Ver Na Natureza Selvagem que é um grande filme é trata sobre isso o contato com a natureza
    Convite: vamos pra Ilha Grande lá vc tem um contato maravilhoso com a natureza, eu sempre volto diferente de lá.

    ResponderExcluir
  2. Eu realmente também tenho alguma coisa com a chuva e gosto de observá-la cair. É uma coisa que me acalma, como uma bela canção.

    ResponderExcluir
  3. Creio que o gosto da chuva venha da relação da água com a vida, tdos de alguma forma senten-se atraidos por ela!
    Gostei da parte do presente como um presente. Alias gostei de todo o texto e o blog é simples e belo. Marcarei presença por aqui viu!
    bjocas.

    PS "Na Natureza selvagem" é um ótimo filme!

    ResponderExcluir
  4. Não gosto de chuva...

    ResponderExcluir
  5. É...Tenho que dizer que isso me fez pensar. Pra falar a verdade, não gosto de chuva; não pela chuva em si, mas pq me lembra inverno, frio ao qual não sou chegada. Contudo, tenho uma "relação" legal com o vento. Desde que me mudei pra uma casa com quintal percebi que gosto muito de sentir o vento no rosto, principalmente aquele vento que surge pouco antes de um temporal. Aquele vento fresco que traz cheiro terra molhada...

    ResponderExcluir
  6. Eu estava agora há pouco feliz porque ouvi uns raios e começou a chover... Eu adoro quando chove e eu estou em casa! Não há sensação melhor!

    O texto é muito belo, romântico... agora só quero ver se, num temporal, você saindo da UERJ, você será a primeira a largar o guarda-chuva e ir de encontro à chuva! Entraria você, na prática, nos mesmos grilos citados no texto?! A teoria é sempre bela, mas e a prática? Rolará um desprendimento?

    PS. Confirmo que o "Natureza Selvagem" é um bom filme a ser visto!

    ResponderExcluir
  7. Débora Lomba29/01/2009 16:31

    Para Koveiro:Nas ferias verei esse bendito filme!!!rs Quanto ao convite, qm sab nas ferias a gnt naum faz uma caravana p Ilha Grande!rs
    Para Marco Antonio: sim, uma bela cançao e uma bela sensaçao ao sentir delisar pelo corpo´!É interessante pensar em nossos sentidos q naum a visao!A chuva provoca um mix d VAKOG!rs
    Para Lili: Oba!Espero seus comentarios!!!
    Para Verônica: Prefiro nao comentar!!!=P Boba!
    Para Danielle: Tamb amo o vento!!!Noh, como eu amo!!!Qm sab um dia naum escrevo sobre!!!rs
    Para Renato: As vezes fecho o guarda-chuva sim, p falar a vdd, as vezes nem o carrego!Eles naum me servem d muita coisa mesmo!Uma pratica pod gerar uma bela teoria! ;)

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito do seu texto. Também adoro chuva. Agora enquanto escrevo está chovendo! Quando eu era criança e tinha aquelas tempestades de verão, eu vestia minha capa de chuva (vermelha!!!!), subia as escadas e ficava da varanda olhando aquela cortina de chuva q se fazia. Quando o vento soprava forte , fazia essa cortina ondular...era lindo!! è uma das poucas lembranças da infância q ainda mantenho integralmente na minha memória. Escreva sobre o vento sim! Eu adoro vento..com chuva ou sem chuva!

    ResponderExcluir
  9. Oi, moça.

    Texto legal. Eu gosto de chuva, e gosto muito de tempo chuvoso também. Só não gosto quando a chuva tá forte demais.

    Mas uma coisa... estão faltando espaços depois dos pontos. Assim fica difícil de ler.

    ResponderExcluir
  10. Débora Lomba06/02/2009 16:19

    Ok!Leo!Anotado!=D
    Veleu pelo comentario!

    ResponderExcluir
  11. Thalles Garou

    "Verônica disse...

    Não gosto de chuva..."

    Já falei que ela é estranha, né?!

    Então

    Chuva... gosto muito dela.
    Infância né.. todo mundo lembra dela.

    Quando chuvia, eu e minha irmã pegavamos o sabão em pó tacavamos todo ele no chão do quintal e brincavamos de gol-a-gol. Na verdade fomos nós que criamos esse jogo.
    Eu não devo pegar chuva, pois já tive duas vezes pneumonia, mas quem disse que eu não pego? Dever, eu não devo. Mas posso!
    Guarda-chuva? se ele guardasse ela pra eu me molhar em casa eu o usaria numa boa, mas ele não guarda nada... e sempre molha os pés. Se é pra molhar os pés, é mais fácil se molhar todo de uma vez! 8)

    ResponderExcluir
  12. Débora Lomba08/02/2009 08:31

    rsssss...amei "Guarda-chuva? se ele guardasse ela pra eu me molhar em casa eu o usaria numa boa, mas ele não guarda nada"...rs
    Vlw pelo comentario, Thalles =D

    ResponderExcluir
  13. Retorno total à infância... Dr. Freud se orgulharia!! rsrs
    Deitar-me-ei no divã também!!
    Eu estava aqui me lembrando dos meus dias de chuva infantis. As poças de água resplandeciam refletindo o que estava em volta.. e eu adorava meter o pezão ali fazendo a água voar para todos os lado. Às vezes de forma explícita, às vezes disfarçadamente o pé escorregava logo pra onde estava a poça "oops pisei na poça!! lalala!!" rsrs Agora as mesmas poças me irritam porque elas podem molhar a minha calça e sujar o meu pé!! Que ironia o mesmo pé que adorava se divertir com a água acumulada agora tem medo de ser molhado por ela!!! rs
    Lembro-me também de estar no carro e aquela chuva caindo e eu ficar brincando de corrida de gotas!!! Eu nunca entendi como uma gota podia surgir do nada com uma velocidade super alta vencendo assim a campeã até o momento imbatível. Que ironia que as mesmas gotas me irritam agora por transformar o transito num caos total!! rsrs
    O mais interessante de tudo isso é que foram NOSSOS olhos que viram a chuva dessa forma mágica na infância e agora esses mesmos olhos só conseguem enxergar o lado caótico dos resultados que a chuva provoca por causa da falta de infra-estrutura de nossa cidade. Nossa visão deve ter ficado embaçada com o passar dos anos! Será que estamos precisando de óculos novos?? Façamos uma visita coletiva ao oftalmologista!!
    Mas sabe o que eu acho que é tão irritante na chuva? É porque ela é imprevisível!! Engana até os meteorologistas!! É aquilo que sai do padrão do que estamos esperando!!
    Do mesmo jeito que corríamos para a janela porque a chuva começava do nada, agora nos irritamos porque ela começa a cair do nada!! =P

    ResponderExcluir
  14. Débora Lomba10/02/2009 01:48

    Sim!!! Engraçado que vc termina considerando mais irritante aquilo que me fascina, como estah no texto: sua chegada sem aviso! Amo quando saio na rua, depois de estar trancafiada por horas em algum lugar, e percebo que estah chuvendo! Principalmente naqueles dias em que o sol se faz tao presente que chuva simplesmente parece algo inacessivel. Nesse momento ela estah nos mostrando que não temos o controle de tudo. Por mais que tenhamos o desejo de ter tudo dominado, naum conseguiremos! E muita das vezes, eh ela que vem dar este recado, mas nos ocupamos tanto em reclamar, que naum conseguimos ouvi-la!

    ResponderExcluir
  15. Textos como esse resgatam minha humanidade...

    bjãooo debinha!!!

    Márcio

    ResponderExcluir
  16. Débora Lomba16/02/2009 14:58

    Para Marcio: ^^

    ResponderExcluir
  17. Voltando ao assunto da chuva, mas agora pra responder decentemente, já criei polêmica msm, ou pelo menos alguns risos, e até mesmo rótulo de ser estranha(ver anonimo, que se chama Thalles,rs).Enfim, tenho meus motivos pra não gostar de chuva, é um pouco disso que a Danielle disse, me lembra inverno, e sei la me traz sensações tristes, e o resto eu trato na terapia,rs. Mas sério, há algo na chuva que me incomoda e muito, e não falo de brincadeira. Mas concordo com a coisa de viver o presente, até pq é a única coisa que temos por hora, o passado já foi e o futuro é incerto. E acredito que viver as pequenas coisas da vida é algo que não tem como explicar, veja o pôr-do-sol e entenderá o que eu digo. Eu..gosto de sol, não digo aquele sol forte, mas aquele sol que brilha ao longe e faz o dia ficar mais bonito, iluminando cada coisa que toca, seja um pássaro voando no céu, ou uma árvore. È isso que me chama a atenção, e que com a chuva não podemos perceber..o quanto as cores ficam mais intensas...e como tudo cria vida.E quando tem uma leve brisa então..fica perfeito! Mas respeito quem goste de chuva!

    ResponderExcluir
  18. Adorei seu texto, você escreve muito bem! E temos uma coincidência medonha: atualizei meu blog hoje, falando de chuva, e postei a mesma imagem que você postou!

    ResponderExcluir